O otimismo é a Fé em ação. Nada se pode levar a efeito sem otimismo

Helen Keller

Ao invés de julgar e condenar as pessoas ao seu redor, tente compreender as atitudes delas, mesmo que não sejam as melhores. A diferença no resultado é impressionante

Paulo Vieira


Veterinária

Papilomatose em equinos

A doença, popularmente conhecida como o aparecimento de verrugas, acomete com maior frequência potros e animais imunodeprimidos

14/05/2019 - 11:27 | Atualizado em 18/09/2019 - 08:48

Comumente denominada como verrugas, a Papilomatose tem origem viral e é transmitida de um animal para o outro, devido à facilidade de inoculação do vírus (Papilomavírus).

A doença pode ser transmitida pelo contato direto com o animal portador do vírus, por fômites (escovas, panos, barbeadores, tosqueadeiras, freios) e existe também a possível transmissão por insetos vetores. Acometem com maior frequência potros, equinos jovens e animais imunodeprimidos.

As regiões comumente afetadas são: narinas, boca, ao redor dos olhos, orelhas (placa aural) e genitais. Os papilomas (verrugas) apresentam tamanhos variados, geralmente entre 0,5 cm e 20 cm, sendo únicos ou de múltiplas brotações, com coloração rosada e/ou esbranquiçada.

Foto cedida
A Papilomatose tem origem viral e é transmitida de um animal para o outro

Apesar de ser um dos neoplasmas de pele mais frequentes e de característica benigna, não devemos deixar de dar atenção à enfermidade, pois os papilomas podem causar sérias lesões, dependendo da quantidade e da localização, trazendo incômodo, problemas secundários e prejuízos, tanto para os animais como para os proprietários.

Tratamento
A Papilomatose é considerada uma enfermidade autolimitante, porém quando há grande número de verrugas, o médico veterinário deve ser acionado para a remoção cirúrgica e a prescrição de tratamentos que otimizem o sistema imunológico do animal a combater o Papilomavírus.

Quando há muitos animais numa mesma propriedade com grandes quantidades de verrugas opta-se pela terapia com vacina autógena, preparada em laboratórios especializados.

Prevenção
Manter os animais bem alimentados, com o protocolo de vacina e vermífugo em dia, é a melhor forma de prevenção. Os equinos, os estábulos e as cocheiras devem ser bem higienizados diariamente, e o controle dos vetores (moscas) também é de grande importância para prevenir a Papilomatose. Os animais portadores devem ser isolados da tropa e os materiais e equipamentos utilizados nestes não devem ser usados nos demais.

Em caso de dúvida, sempre busque a opinião de um médico veterinário.

Foto cedida
As regiões afetadas são: narinas, boca, ao redor dos olhos, orelhas e genitais

Foto:

Flávia Guerra flaviaguerra.vet@hotmail.com

A veterinária Flávia Guerra trabalha com Clínica médica e esportiva, Acupuntura, Ozonioterapia e exame de endoscopia. Possui habilitação para exame de Mormo.

2 colunas publicadas

Publicidade
Banner Vetnil