São as forças naturais que estão dentro de nós que curarão as nossas doenças

Hipócrates

Nenhum problema é realmente insolúvel, nenhum sonho é irrealizável. Basta ter coragem e se deixar guiar pela Fé inabalável

Allan Percy


Meu Pet

Os pets e a terceira idade

Quando compramos ou adotamos um animal de estimação, muitas vezes nos esquecemos de que eles ficarão velhos e, invariavelmente, morrerão antes de nós

17/03/2020 - 15:12 | Atualizado em 11/04/2020 - 12:43

Enquanto os humanos demoraram um século para dobrar a expectativa de vida, cães e gatos foram capazes de fazer o mesmo em apenas três décadas. A partir do momento em que os pets passaram a viver dentro de casa (não mais apenas no quintal), eles ficaram mais próximos do homem, ganhando importância nas relações familiares. Cuidados intensivos com alimentação, higiene, medicina preventiva e curativa foram capazes de torná-los mais longevos. E é na velhice que os nossos companheiros mais precisam de cuidados. Saiba mais:

Quando cães e gatos chegam à idade senil, assim como as pessoas, apresentam mudanças no metabolismo e algumas morbidades tornam-se comuns. Ocorre a redução da imunidade, favorecendo o aparecimento de doenças autoimunes. Insuficiências cardíacas e renais, doenças do fígado, problemas urinários, catarata, diabetes, doenças da próstata, obesidade, doenças hormonais, acidentes vasculares (“derrames”), artroses, hipertensão, câncer, doenças degenerativas, “demência”, doença periodontal (dentes e gengivas), entre outras, são enfermidades frequentes em cães e gatos idosos.

Tais quais os filhotes, os velhinhos precisam ser vacinados, derverminados, ficar livres de pulgas e carrapatos, tomar banho e passear com frequência. Os mais idosos têm dificuldade de locomoção, necessitando de pisos aderentes para não escorregarem, bem como fácil acesso aos comedouros. Precisam também ser protegidos do frio, pois produzem menos calor do que os animais jovens, sendo mais friorentos.

Quase todos os pets, após determinada idade, precisam passar por cuidados dentários que incluem limpeza do tártaro, extrações dentárias e tratamento das gengivas. É importante adequar a alimentação a cada estágio da vida do animal. Muitas vezes precisamos mudar até a consistência do alimento para que eles consigam deglutir sem grandes esforços, pois não é infrequente cães e gatos velhinhos perderem quase todos os dentes.

Quando os pets podem ser considerados idosos? Depende de inúmeros fatores. Gatos e cães de pequeno porte são considerados geriátricos a partir dos 07/08 anos de idade, entretanto, o estilo de vida e a genética influenciam no envelhecimento. Cães de grande porte, a partir dos 06 já podem começar a apresentar sinais de senilidade. 

O mais importante dessas informações é compreendermos os sintomas do envelhecimento, a fim de ficarmos atentos aos sinais de doenças relacionadas à senilidade. É possível fazermos com que os nossos amiguinhos vivam mais tempo, proporcionando-lhes alimentação de alta qualidade, cuidados médicos, vacinação, proteção contra pulgas, carrapatos e vermes, exercícios físicos e muito carinho. E quando começarem a nos dar mais trabalho... eis o momento em que precisarão de nossa paciência, do nosso cuidado, da nossa atenção e, fundamentalmente, do nosso amor!


Foto:

Janaina Biotto contato@vilachicopethotel.com.br

A médica veterinária Janaina Biotto é especialista em Anestesia, Oncologia, Ozonioterapia e Acupuntura. Atende no Vila Chico Pet Hotel, em Botucatu/SP.

27 colunas publicadas