Quanto mais você se sente bem, mais amor você irradia. E quanto mais amor você irradia, mais amor você recebe

Rhonda Byrne

A crítica é algo que você evita com facilidade: é só não falar nada, não fazer nada e não ser nada

Aristóteles


Treinamento

Qual a sela certa para você?

O seleiro Juliano Paião e o jornalista-cavaleiro Marcelo Pardini dão dicas de como os competidores devem escolher o equipamento, a fim de evitarem dores de cabeça

A sela é o principal equipamento para o seu sucesso nas provas equestres. O propósito da armação do produto é encaixar-se adequadamente à região dorso-lombar do animal, funcionando de forma integradora entre cavalo e cavaleiro. Neste sentido, elaboramos dicas para você, embasadas nos conhecimentos técnicos e práticos do seleiro Juliano Paião e do jornalista-cavaleiro Marcelo Pardini. Leia abaixo:

O encaixe determina o quão confortável é a sela, especialmente nas competições de velocidade, cujo objetivo é deixar o cavalo solto – movimentos livres, amplos e velozes. Considerando que os produtos tradicionais têm como base a madeira, torna-se imperativo que a armação seja bem ajustada, tanto para o equino como para o competidor.

Divulgação
A sela e os demais acessórios compõem a integração cavalo-cavaleiro

Muitos competidores amadores, especialmente àqueles em início de carreira, optam por selas grandes, cheias de enfeites, em detrimento aos produtos com eficácia comprovada, que contribuem para o sucesso nas provas contra o cronômetro. Eles não se atentam pelo fato de o equipamento ser individual, tendo o tamanho adequado ao acento do atleta. “Se a distância entre a cabeça (parte frontal) e a virola (traseira) é excessiva, o cavaleiro se desloca pra frente e pra traz, impedindo que o cavalo trabalhe com amplitude máxima, desequilibrando-o. Isso pode gerar atritos na cernelha (anterior) e no lombo (posterior) do animal, machucando-o”, diz Juliano Paião, da Selaria Nossa Senhora Aparecida, empresa localizada em Presidente Prudente/SP, com mais de 60 anos de tradição. 

Quando o assento da sela é grande, os estribos não têm caimento adequado, consequentemente, o competidor fica com a ponta do pé direcionada pra baixo, balançando a perna pra frente, fazendo com que o cavalo perca o ponto de equilíbrio. "Antes de adquirir a sua próxima sela, consulte um especialista", reforça Paião.

Divulgação
Sentindo-se confortável, o cavaleiro tem prazer pela montaria

Para Marcelo Pardini – jornalista e cavaleiro aos finais de semana – o tamanho correto do assento da sela é de extrema importância para uma boa equitação. “Quando a pessoa se sente confortável, com os pés nos estribos e, estes, devidamente bem posicionados e ajustados, a montaria se torna equilibrada. Em se tratando de competição, isso faz com o equitador sinta prazer, contribuindo diretamente para a sua alta performance”.


Publicidade
Banner Haras Lagoinha