O homem é o que ele pensa durante todo o dia

Ralph Waldo Emerson

O segredo para seguir em frente, mesmo nos períodos mais difíceis, é deixar que seu sonho de vida seja guiado pela Fé

Nick Vujicic


Meu Pet

Câncer em cães e gatos - por que a incidência tem aumentado?

Na medida em que os nossos amigos pets vivem mais, eles também adoecem com maior frequência, devido às doenças intimamente ligadas à idade

28/08/2019 - 11:18 | Atualizado em 18/09/2019 - 08:54

Podemos perceber, nas consultas dentro das clínicas, um número cada vez maior de animais que chegam a nós, médicos veterinários, apresentando algum tipo de câncer. O que está acontecendo? Com a mudança do estilo de vida e, consequentemente, a longevidade, o número de pets diagnosticados com a doença tem aumentado nos últimos anos. Dentro desse panorama, podemos destacar que os investimentos em Medicina preventiva, como vacinações, nutrição adequada e cuidados com higiene, têm surtido efeito no sentido de promover o bem-estar dos bichanos.

Na medida em que os nossos amigos vivem mais, eles também adoecem com maior frequência, devido às doenças ligadas à idade. Artroses, problemas cardíacos, renais e degenerativos, além do câncer, formam o grupo de enfermidades mais comuns em animais idosos.

Muitos proprietários de cães e gatos me perguntam se os tumores têm relação com a ração industrializada ou com o ambiente onde vivem? A resposta é: talvez. Não existem pesquisas que identifiquem relação direta, entretanto, a epigenética (que está sendo muito estudada atualmente) é a área da Biologia que estuda mudanças no funcionamento de um gene que não são causadas por alterações na sequência de DNA e que se perpetuam nas divisões celulares, meióticas ou mitóticas, ou seja, características provenientes da genética altamente susceptíveis às ações de fatores ambientais. Dessa forma, podemos concluir que o aparecimento de tumores depende não só dos aspectos genéticos, mas dos externos, como estresse, sedentarismo, alimentação, exposição às substâncias tóxicas.

Então, permanece a dúvida: o uso crônico de ração pode ou não causar câncer? Nada comprovado, entretanto, uma pesquisa realizada em 2015, nos Estados Unidos, testou 45 tipos de rações e demonstrou que mais da metade das amostras estava contaminada por pelo menos 03 tipos de micotoxinas. Essa contaminação é proveniente dos grãos de milho utilizados na fabricação das rações industrializadas. As micotoxinas podem induzir ao câncer, à lesão renal e à depressão do sistema imunológico.

Independentemente das causas do câncer, que são difíceis de identificar, o que devemos têr em mente é que muitos desses tumores podem ser curados ou tratados, oferecendo qualidade de vida aos pets. 

Foto cedida
Independentemente do diagnóstico, o foco é a qualidade de vida aos pets

Cães e gatos parecem sofrer menos do que as pessoas durante e após as sessões de quimioterapia e cirurgias. Não estou dizendo que eles não sintam dor, mas como não vivenciam a experiência psicológica que os humanos têm quando recebem o diagnóstico de câncer, eles encaram o problema de uma forma natural. Quanto mais precoce o diagnóstico maiores as chances de cura e possibilidades de terapias.

Quimioterapia, Radioterapia, Acupuntura, Fitoterapia, Dietoterapia, Nutracêuticos e exercícios físicos são terapias aplicáveis em cães e gatos, apresentando cada vez melhores resultados e proporcionando uma vida digna, mesmo após o diagnóstico de câncer. Para sanar as suas dúvidas, consulte sempre um médico veterinário.


Foto:

Janaina Biotto contato@vilachicopethotel.com.br

A médica veterinária Janaina Biotto é especialista em Anestesia, Oncologia, Ozonioterapia e Acupuntura. Atende no Vila Chico Pet Hotel, em Botucatu/SP.

8 colunas publicadas

Publicidade
Banner Haras Lagoinha